Java

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Curiosidades - Os ovos Fabergé


Karl Fabergé e os seus trabalhadores desenharam e construíram o primeiro ovo em 1885. Foi encomendado pelo Czar Alexandre III como uma surpresa de Páscoa para a sua esposa Maria Feodorovna.

Do lado de fora parecia um simples ovo de ouro branco, mas quando se abria, revelava um outro ovo de ouro puro onde se escondia uma galinha feita do mesmo material, com uma pequena coroa de rubis na cabeça.

O primeiro ovo Fabergé

A Imperatriz Maria gostou tanto da sua prenda que Alexandre nomeou Fabergé como “Fornecedor da Corte” e encomendou um ovo de Páscoa por ano a partir de aí, estipulando que deveria ser único e conter uma surpresa. O seu filho, Nicolau II, continuou a tradição, oferecendo todas as primaveras um ovo Fabergé à sua esposa Alexandra e também à sua mãe.


ovo dos palácios dinamarqueses (1890) oferecido por Alexandre III a Maria Feodorovna

A partir de 1885 os ovos foram fabricados quase todos os anos. Assim que o desenho inicial era aprovado, o trabalho era levado a cabo por um grupo de artesãos sob as ordens de Fabergé, entre os quais se incluíam Michael Perkhin, Henrik Wigström e Erik Augut Kollin.

ovo relógio serpente azul (1887) oeferecido por Alexandre III a Maria Feodorovna

Os ovos imperiais usufruíram de tal fama que Fabergé chegou mesmo a fabricar pelo menos 15 para clientes privados. Entres eles existe uma série de 7 ovos feitos para o industrial Alexandre Kelch. Eles não são tão majestosos quanto os ovos imperiais, nem tão originais, uma vez que, muitas vezes, não passavam de replicas daqueles que eram encomendados pelo Czar.

ovo Azova (1891) oferecido por Alexandre III a Maria Feodorovna

Dos 69 ovos conhecidos, apenas 61 chegaram aos nossos dias. A grande maioria encontra-se em exposição em museus públicos por todo o mundo, embora a grande maioria (30) se encontre na Rússia. Dos 54 ovos imperiais conhecidos, sobreviveram 46.

Dos 8 ovos perdidos, existem apenas fotografias de dois, o da “Realeza Dinamarquesa” de 1903 e o “Ovo comemorativo de Alexandre III” de 1909

ovo "botão de rosa" (1895) oferecido por Nicolau II a Alexandra Feodorovna

Depois da Revolução Russa, a “Casa de Farbegé” foi nacionalizada pelos bolcheviques e a família Fabegé” fugiu para a Suíça onde Peter Carl Fabargé morreu em 1920. Os palácios dos Romanov foram saqueados e os seus tesouros retirados, por ordem de Lenine, para os armazéns do Kremlin.

ovo da coroação (1897) oeferecido por Nicolau II a Alexandra Feodorovna

Num leilão para adquirir mais dinheiro estrangeiro, Estaline mandou vender muitos dos ovos em 1927, depois de serem avaliados por Agathon Fabergé. Entre 1930 e 1933, 14 ovos imperiais abandonaram a Rússia. Muitos dos ovos foram vendidos a Amand Hammer, presidente do “Petróleo Ocidental” e amigo pessoal de Lenine, cujo pai foi um dos fundadores do Partido Comunista dos Estados Unidos. Emanuel Snowman, da loja de antiguidades de Wartski, Londres adquiriu também alguns.

ovo do Kremlin (1906) oferecido por Nicolau II a Alexandra Feodorovna

Depois da colecção do Kremlin, a maior colecção de ovos Fabergé foi organizada por Malcolm Forbes, e apresentada em Nova Iorque. Com o total de 9 ovos e aproximadamente outros 180 objectos fabergé, a colecção foi leiloada no Sotheby’s em Fevereiro de 2004 pelos herdeiros da Forbes. Antes do leilão começar, a colecção foi comprada por uma quantia entre os 90 e 120 milhões de dólares por Victor Vekselberg. Os ovos imperiais desta colecção incluíam o primeiro ovo de sempre assim como o “ovo da coroação” (que apareceu no filme “Ocean’s 12” de 2004).

ovo "Pedro, o Grande" (1903) oferecido por Nicolau II a Alexandra Feodorovna

Em Novembro de 2007, um relógio Fabergé, chamado de “Ovo Rothschild” pela “Christie’s” foi vendido num leilão por 8.9 milhões de libras. O preço atingiu dois recordes num leilão: a peça de tempo mais cara de sempre a ser vendida e o objecto russo mais caro, ultrapassando mesmo os 9,6 milhões de dólares pagos pelo “Ovo de Inverno” em 2002.

Ovo de Inverno (1913) oeferecido por Nicolau II a Maria Feodorovna

Localizações dos ovos Fabergé:

Museu do Kremlin, (Moscovo, Rússia) 10
 Colecção de Viktor Vekselberg, (Rússia) (antigo Forbes) 11
 Museu de Belas-Artes da Virginia, (Richmond, Virginia, EUA) 5
Museu de Arte de Nova Orleães, (Nova Orleães, Louisiana, EUA) 3
Colecção Real, (Londres, Reino Unido) 3
Fundação Edouard e Maurice Sandoz, (Suíça) 2
Museu Hillwood, (Washington, D.C, EUA) 2
Museu de Artes Walters, (Baltimore, Maryland, EUA) 2
 Museu de Arte de Cleveland, (Cleveland, Ohio, EUA) 1
Colecção de Alberto II do Monaco, (Monte-Carlo, Monaco) 1
Museu Nacional da Rússia, (Moscovo, Rússia) 1
Instituto Mineralógico Fersman, (Moscovo Rússia) 1
 Colecções Privadas 4
Localização desconhecida 8

ovo da constelação (1917). Nunca foi acabado.

Outros ovos:

ovo caucaso

ovo de cristal


ovo da imperatriz Maria

ovo cuco

ovo lirio

 
ovo pansey

ovo do iate

ovo do Palácio de Alexandre

ovo do czarevich

ovo relógio de lirios

ovo de flores selvagens


duas perspectivas do ovo comemorativo do 15º aniversário do reinado de Nicolau II

ovo das colunas

ovo do pavão

ovo militar

ovo do tricentenário

ovo do jubilo dinamarquês

ovo camuflagem

ovo da cruz vermelha

o ovo bétula foi um dos últimos projectos, mas nunca chegou a ser completado

Sem comentários:

Enviar um comentário